As razões de Deus

27/06/2017 20:16

Sob o impacto previsível, mas sempre devastador, da primeira de uma série de denúncias da Procuradoria Geral da República contra si, Michel Temer saiu-se com esta: "Não sei como Deus me colocou aqui".

Talvez a formulação mais adequada tivesse sido "Não sei porque Deus me colocou aqui" , mas, de qualquer modo, eu penso que todos devemos buscar uma explicação para o mistério existencial proposto pelo já histórico personagem.

Penso que Deus, ou seja que nome se dê ao desconhecido, na verdade nunca se importou de fato com esse Temer. Apenas topou com um sujeito superlativamente vaidoso, exemplarmente traidor, cabalmente dissimulado, ávido por servir de quatro aos interesses mais calhordas da escória que domina este País há mais de 500 anos e, pensando lá com seus cósmicos botões, decretou: QUE A MERDA SEJA FEITA!

E tendo assim decidido, pôs a observar.

Não deu outra. Talhado sob feitio para a escrota tarefa de destruir o presente, o futuro e as esperanças de todo o povo de um imenso e promissor país, o emblemático fariseu pôs em marcha o vil script recebido de seus mentores.

Com a mão pesada própria dos energúmenos (certamente tomado pela incontida vaidade), o estúpido se pôs a espancar o bom senso, a tripudiar sobre os mais fracos, a arrotar falsos poderes, sem perceber que o Deus que hoje interroga na verdade o queria assim mesmo: um perfeito canalha no pleno exercício da canalhice, para que servisse de exemplo, de paradigma do que há de mais nefasto no caráter dos seres humanos que se apropriam da coisa pública em benefício próprio e de interesses privados.

E assim sendo, conforme-se, Temer. Deus lhe deu um papel. E você o desempenhou com maestria.

Não há na história do Brasil, até o momento, uma figura pública mais desprezível do que você.

Este terá sido o desígnio Dele.

Missão cumprida.