Caíram na rotoeira

01/11/2015 12:09

Lula acredita que os abusos que estão praticando contra si fazem parte do processo de amadurecimento de nossas instituições e que, caso seus inimigos voltem ao poder, descobrirão que não há mais como se protegerem através do aparelhamento da Justiça, do MP ou da PF, como o que promoveu Fernando Henrique Cardoso.”

 

O relato acima consta de texto publicado sexta-feira, dia 31 de outubro, no Blog da Cidadania, elaborado a partir de entrevista conduzida por Eduardo Guimarães — @eduguim, no twitter — com o ex-presidente Lula: http://www.blogdacidadania.com.br/2015/10/lula-o-homem-sem-medo/.

 

É isso. Tanto quanto o resgate de 36 milhões da miséria, em grande parte resultante das políticas sociais de seu governo, continuadas por Dilma Rousseff, deixa Lula para o futuro esta que talvez seja a sua obra mais duradoura, fundamental. E, quem sabe, a que realizou não movida por convicção ideológica, mas pela intuitiva busca de justiça inerente a todo ser humano.

 

Lula teve a oportunidade para fazê-lo. E fez. Deu poder e meios de ação a instituições que antes dele eram instrumentalizadas pelos plutocratas e seus asseclas quatro e quintocentões. E abriu caminho para o que se vê hoje no Brasil, transformado neste supermercado de denúncias, a maioria delas, é claro!, seletivamente direcionadas contra aquele que proporcionou tal liberdade e contra aquela que hoje a garante.

 

'Não chorem por mim, eu vou sobreviver', quase disse Lula outro dia. E é verdade. Ninguém precisa chorar pelos ataques que ele e Dilma vêm recebendo. Talvez apenas esses que, ao pensarem estar lhes causando algum mal, em verdade contribuem para realizar e consolidar o grande salto de consciência que o País precisa. Caíram na ratoeira montada por Lula. Continuam pensando que o cachorro é que abana o rabo.