Essa guerra é nossa!

10/03/2015 10:39

Com tantas e tão severas críticas vindas daqueles que, em tese, seriam seus simpatizantes, a presidenta do Brasil, Dilma Rousseff, não precisa de inimigos. O fogo amigo lhe basta. 

 

Chega a ser ridículo, isso! 

 

Tanto que foi preciso a entrevista de um dos fundadores do PSDB e ex-ministro de FHC, o economista Luís Carlos Bresser Pereira, para colocar as coisas nos devidos termos. Disse ele, por exemplo, que "surgiu um fenômeno nunca visto antes no Brasil, um ódio coletivo da classe alta, dos ricos, a um partido e a um presidente". E que isto "não é preocupação ou medo. É ódio".

 

E nem assim os amigos da Dilma aprumam os seus comentários. Nem assim orientam suas análises para aquilo que hoje realmente interessa, que é a dissecação da "luta de classes" em curso. Uma paródia da velha luta de classes, pois o que se trata mesmo é do estrebuchar dos privilegiados frente ao avanço daqueles que nunca tiveram oportunidades.

 

Não se precisa, neste exato momento, maximizar os erros da presidenta Dilma; os governantes estão sempre errando, principalmente para quem está aqui de fora, distante do olho do furacão. O que se precisa é escancarar, dia e noite, as contradições, a hipocrisia, a violência e o ridículo de quem lidera a atual oposição ao governo.

 

E, vamos convir, essa guerra de comunicação não cabe à Presidenta da República. Essa guerra é nossa!