Falta responsabilização

08/08/2013 14:29

Agissem assim, é certo que as bibliotecas conteriam menos livros, mas, ao menos, seriam livros melhores e mais úteis ao avanço da espécie. A facilidade com que se produzem certezas no campo das auto-proclamadas 'ciências sociais' é um dos maiores males desse tempo em que os homens têm estado juntos, organizando-se em sociedade.

 

Nesta semana, por exemplo, em São Paulo, atribuiu-se a um menino de 13 anos o assassinato a tiros de sua avó, uma tia, o pai e a mãe, seguindo-se o suicídio do garoto. O caso ainda está envolvo em mistério, diante das dúvidas levantadas (ausência de resíduo de pólvora nas mãos do jovem, por exemplo) e das informações de que a mãe do menino, uma policial  militar (assim como o pai), teria denunciado colegas que participariam de roubos a caixas eletrônicos.

 

Especula-se, diante disso, se tudo não foi uma armação para tirar o foco dos verdadeiros autores da chacina. Mas, no primeiro momento, até o delegado responsável pela investigação afirmou, categórico, a culpa do adolescente, ao invés de assumir postura profissional e, portanto, cética.

 

É provável que, ao final, se prove a culpa do menino. Mas também é possível que isto não ocorra e outros autores venham a ser revelados. E, no entanto, uma comoção social foi gerada em torno dessa tragédia, com impactos negativos e cumulativamente duradouros na mente das pessoas que vêm acompanhando o caso.

 

Falta responsabilidade e real compromisso de autoridades, intelectuais e profissionais que atuam nas chamadas áreas humanas. Dentre esses personagens, os mais danosos são os que lidam com a gestão da coisa pública, mas também dos interesses privados, sejam políticos, economistas, sociólogos ou administradores em geral.

 

É criminosa a facilidade com que lideranças de opinião e autoridades tomam decisões que afetam milhões de pessoas; adotam medidas que envolvem recursos imensos, na maioria das vezes provenientes do erário — e, em última análise, dos impostos que a sociedade paga —, sem que haja um sistema de responsabilização eficaz regulando suas ações.