Mudar a cultura, proposta de caminho - III

18/02/2015 12:30

É imprescindível, ainda, que o Conselho, em sua instância maior, nacional, tenha assegurada a presença regular, em suas reuniões, não apenas dos delegados estaduais e do corpo técnico, mas também das principais lideranças dos poderes da república, tanto para conferir e reafirmar o compromisso do Estado com o 'objetivo maior', quanto para agilizar as soluções de caráter político. O acompanhamento das reuniões será aberto a todos os órgãos de comunicação.

 

Neste ponto, é preciso esclarecer o motivo de se propor a criação de uma estrutura nacional de Conselhos destinada a tratar exclusivamente da relação das pessoas com a produção e o descarte de lixos. O fato é que Conselhos muito abrangentes, como os que se formaram no Brasil a partir da Constituição de 1988 (da Saúde, da Educação, do Esporte, da Criança e do Adolescente, entre outros), não são eficazes nem eficientes.

 

A complexidade e variedade dos temas por eles tratados é tal, que inviabiliza a formulação de ideias consistente para os segmentos a que se destinam. Assim, o que acaba sendo 'encaminhado' são propostas genéricas, em nada diferentes daquelas que o poder público mesmo faria. Como jornalista que acompanhou inúmeras dessas reuniões, na esfera municipal, de 2000 a 2013, posso ainda testemunhar o alto grau de manipulação de tais Conselhos, com baixíssima representação social espontânea. Texto IV