O Brasil ficou triste e envergonhado

27/05/2017 10:05

As donas-de-casa, ou suas empregadas, caminham pelas calçadas rumo à feira, ao supermercado, ou de volta com suas sacolas.

Os trabalhadores rurais mantêm suas fainas diárias desde cedo.

As professoras mais comprometidas esforçam-se nas escolas para atrair o interesse e despertar a iniciativa das crianças.

Os zeladores dos prédios continuam a monitorar suas câmeras de segurança, abrindo e fechando portões.

O lixeiro passa.

As pessoas falam aos seus celulares nos espaços públicos. Como em qualquer cidade do mundo.

Os jovens frequentam ainda as praças de alimentação dos shoppings.

E assim, num olhar menos atento, julgamos que nosso País segue. E que a vida está normal.

Mas, não.

Nada mais está normal.

Não se vêm ou ouvem gargalhadas, risadas abertas, rasgadas. Quando muito, apenas educados sorrisos. 

O fato, o sentimento entranhado na alma brasileira, nestes exatos dias de maio de 2017, é o da vergonha.

Da profunda e mais miserável vergonha.

Uns, porque não fizeram mais.

Outros, porque não quiseram fazer. Por covardia ou conveniência. Dá no mesmo.

Muitos, a maioria, por ignorância real ou assumida.

Tudo repassado por muito, muito preconceito. De todos os tipos.

Estamos doentes, de tristeza.

Mas não desista, Brasil!