Parabéns, presidenta Dilma Rousseff

04/12/2015 13:36

O governo Dilma não é ruim. Ao contrário, é um governo excelente, porque, apesar de fustigado ao longo dos últimos doze meses por todas as crises possíveis e imagináveis — ou quase todas, graças à convivência multiracial que caracteriza nossa cultura —, vem mantendo um mínimo de sanidade, mercê das convicções e da capacidade de resistência da Presidenta.

 

É evidente que tudo poderia estar melhor. Ela poderia estar cercada por melhores auxiliares em várias áreas cruciais. Poderia ter adotado medidas mais acertadas na Economia e na Política. Poderia ter reagido com mais rapidez e eficácia frente a este ou aquele desafio que lhe foi imposto etc.

 
A questão, no entanto, é que existe uma diferença fundamental entre liderar e criticar. E nem é preciso explicar qual seja essa diferença, afinal, todos conhecemos a expressão "engenheiros de obras feitas". E também imaginamos, apenas imaginamos, a quantidade enorme de variáveis que cerca as decisões do governante de um país da complexidade do Brasil.                               
 
É imprescindível, portanto, que deixemos de lado a hipocrisia e o oportunismo. Todo governo erra, mesmo os mais bem intencionados e ditos competentes. Quem julga o valor de um governante é a História. E, até hoje, 4 de Dezembro de 2015, o governo Dilma tem tudo para, no futuro, vir a ser lembrado como aquele que contribuiu decisivamente para a consolidação da Democracia brasileira. E isto sob os ditames pouco claros, mas promissores, deste novo tempo tecnológico.