O momento é de profunda imbecilização

28/11/2013 14:07

Como é possível especular sobre as opções e perspectivas da espécie dominante neste planeta finito ― que é o que venho fazendo aqui, em textos publicados e a publicar ―, quando temos exposto diante dos nossos olhos e consciência um exemplo tão gritante de injustiça, traduzido na condenação e prisão de José Genoíno, e também de José Dirceu, em decorrência desse absurdo processo denominado ‘mensalão’? 

 

À pergunta “Quem são esses homens?” feita anteriormente, em que questiono a autoridade real ― não a institucional e concedida por nomeação ― daqueles e daquelas que perpetraram essa barbaridade jurídica (sem provas verdadeiras) contra dois dos construtores da nossa atual democracia, àquela pergunta, repito, acrescento outra: Até quando? Até quando pessoas de bem, que ainda existem em nossa sociedade, estão dispostas a aceitar essa violência reiteradamente cometida à sombra das instituições democráticas do Estado brasileiro?

 

Falo de pessoas de bem, não de certos eternos farsantes, como aquele que um dia sentou-se na cadeira de Presidente da República e a desonrou com sua incontida subserviência e destemperada vaidade. Deste nada espero. Nunca nada esperei, porque o conheci pessoalmente e de imediato percebi a sua laia. 

 

Falo de pessoas sensatas, daquelas que independem de ideologias, que conhecem suas fraquezas e limitações mas estão em paz com sua consciência. É preciso que mais dessas pessoas sensatas reajam com coragem à neobarbárie em vigor, como outro dia fez o cidadão e jurista Celso Antônio Bandeira de Mello, para quem o sr. Barbosa “é um homem mau, com pouco sentimento humano”, defendendo o seu impeachment do cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal. 

 

A hora não é de calar. Não é hora de acovardar-se diante da turba eletrônica que se manifesta com violência em torno e a partir dos espaços de extrema direita mantidos nas redes sociais e nos portais dos meios de comunicação, aqueles mesmos que sustentam a tese absurda desse ‘mensalão’.

 

Nunca, de forma tão evidente, escancarada, descarada e criminosa se articulou tanto contra a verdade. Estamos vivendo um momento de profunda imbecilização, no Brasil. Tempos de trevas.