Só se o Moro for um covarde

24/06/2017 18:37

Luiz Inácio Lula da Silva não recebeu apartamento no Guarujá em troca de favores à empreiteira OAS.

Isto já está provado e nos próximos dias, após tentar de todos os modos implicar o ex-Presidente nesse pretenso crime, inventado por um grupo de irresponsáveis do Ministério Público Federal, o juiz Moro dará conhecimento à sua sentença.

Moro pode ter sido, lá atrás, orientado, inclusive por interesses externos, a destruir Lula e o Partido dos Trabalhadores, demonizando-os como os únicos responsáveis pelos grandes esquemas de corrupção estabelecidos no Brasil.

Pode ter sido inclusive municiado com informações enviesadas, produzidas por esses orientadores. Mas hoje, tantas águas passadas sob essa ponte de mentiras e manipulações, até Moro já terá percebido as raízes, as ramificações e os interesses por trás da crise em que o País está mergulhado.

Já terá compreendido que, embora possua muitos defeitos, como todo e qualquer ser humano, Lula é uma exceção, uma vítima dessa mixórdia que tem sido a política brasileira desde sempre. E que o PT, apesar de tudo, ainda é sim o único partido verdadeiramente orgânico neste cenário de terra arrasada.  

Diante dessa percepção e dessa compreensão ditadas pelas provas e pela lógica, o juiz Moro tem apenas duas opões: ou absolve Lula e aguenta o tranco, ou se acovarda e o condena, mantendo o script daqueles que lá atrás o orientaram e municiaram.

Não me iludo com nada nem com ninguém.

Apenas observo.

 

Hoje, 25, pela manhã, tomei conhecimento deste artigo de Eduardo Ramos postado no portal do Nassif, o qual julgo pertinente anexar ao texto acima: "Da grandeza histórica e pessoal de Lula"