Temos de ir ao fundo do poço

29/10/2016 11:45

Quando vejo um Superior (Superior!) Tribunal Federal decidir pela eliminação do direito greve de uma parcela imensa de cidadãos (os funcionários públicos de todas as esferas administrativas).

Quando vejo o mesmo STF calar-se e compactuar com um golpe de Estado.

Quando vejo esses mesmos homens e mulheres nem ao menos se envergonharem diante da criminosa perseguição que se faz contra um cidadão de bem e de bons propósitos, como é Luiz Inácio Lula da Silva.

Quando vejo esses senhores e senhoras pretensamente sérios e pretensamente sábios continuarem impassíveis em suas verdadeiramente hipócritas solenidades, enquanto as esperanças de um geração e o futuro de um país se fragmenta em volta, constato o óbvio: temos mesmo de ir ao fundo, até atingir o chão duro do poço.

É isso, prezados e prezadas, vamos até o fim.

Quem deu golpe para destruir as conquistas sociais, para entregar o Brasil aos interesses externos e enriquecer o capital transnacional, mesmo que pelo caminho restem milhões de vítimas, de desesperados, de mortos, que faça o seu serviço. Até onde nós outros lhes permitirmos.

Estamos há muito em meio a uma guerra. Talvez a nossa realidade nunca tenha sido outra, senão uma guerra permanente entre duas visões antagônicas de vida: ser vs não-ser. E numa guerra fundamental como esta, não há espaço para meias derrotas nem vitórias pela metade. Vamos pro pau!