Vai ser safado assim na casa do pastel

25/03/2017 12:01

Gosto do Delfim Netto antropólogo, ou seja, respeito o cara interessado no estudo da antropologia — que sei que ele é — e sua importância para entendermos o comportamento do homem de hoje e de sempre. Considero mesmo que este é o assunto crucial dos nossos tempos e me dedico, também, a pesquisar a respeito.

Não tenho condições técnicas para avaliar o Delfim Netto economista, pois sou um reles curioso nessa área.

Mas, definitivamente, não gosto do Delfim Netto político-empresário. Este, considero um ser execrável, lamentável, diria até abominável.

Este, o Delfim político-empresário, está sempre a serviço do seu cliente de momento, sem — atenção! — tirar totalmente o pé da canoa do cliente anterior e — never, jamais! — deixar que se distancie a canoa do cliente futuro.

O cara, o Delfim Netto político-empresário, é desprezível.

A sua, dele, mais recente entrevista (ao site 247, e me recuso a fornecer o link) demonstra cabalmente o que acabei de descrever acima.

Nessa infeliz manifestação pública, Delfim Netto faz severas críticas à política econômica de Dilma Rousseff (sua cliente anterior), jogando no colo de Dilma toda a culpa pela crise econômica que sedimentou a deposição de uma Presidenta eleita por mais de 54 milhões de votos — sem crime de responsabilidade, Delfim, sem crime de responsabilidade, como exige a Constituição!

Ignora que Dilma foi boicotada desde antes da posse ao seu segundo mandato pela irresponsabilidade lesa-pátria do sr. Aécio Neves, com apoio de todo o PSDB, grupo político que passou a contestar uma legítima vitória eleitoral.

Faz de conta que não sabe das traições perpetradas pelo sr. Michel Temer, junto com sua quadrilha associada à quadrilha de Eduardo Cunha, para inviabilizar os ajustes econômicos propostos por Dilma ao Congresso ao longo de 2015.

E garante, com a maior irresponsabilidade do mundo, que não houve golpe (na verdade, foge ligeiro do assunto, para não ter de justificar sua falsa afirmativa).

Ou seja, o homem é um portento de mau-caratismo político, em benefício de seus interesses empresariais de consultor.

Para completar, ainda afirma, na maior cara de pau, que Temer (seu atual cliente) é melhor presidente do que Dilma.

E, como se não bastasse, ainda, afirma que Lula (seu mais provável futuro cliente) é um gênio, um diamante bruto.

Bruto, é claro, porque precisa ser lapidado... E por quem? Por Delfim Netto, é claro!

Vai ser safado assim na casa do pastel.